E-mail Imprimir PDF
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

"HERÓI DE REALENGO", PARTICIPA DE HOMENAGEM NA ESCOLA TASSO DA SILVEIRA

A imagem pode conter: 4 pessoas, atividades ao ar livre

Na pior chacina ocorrida na história recente do Brasil, o papel de policiais militares do Rio de Janeiro foi imprescindível para estancar o já trágico banho de sangue. O então sargento Márcio Alexandre Alves, o cabo Ednei da Silva, e o cabo Denilson Francisco de Paula, compunham a guarnição que adentrou ao colégio em que crianças estavam sendo mortas a tiros, no Realengo, Rio de Janeiro.

Segundo relato do sargento Márcio, Wellington, autor do massacre, disparou duas vezes contra o policial, que reagiu, atingindo-o no abdômen. Posteriormente, o criminoso se matou.

São várias as possibilidades de desdobramento para uma ação como esta: os policiais poderiam ter sido atingidos, possibilitando a continuidade do massacre; o disparo do sargento poderia ter atingido algum inocente etc. Segundo a polícia técnica, o atirador ainda possuía 66 cartuchos não deflagrados, o que nos dá a dimensão do que poderia acontecer caso os policiais militares não atuassem.

Atualmente, Alves é Subtenente na Policia Milita e continua lotado ma mesma Unidade Policial, Batalhão de Polícia Rodoviária - BPRV.

Os policiais, são, sim, heróis. Heróis do cotidiano, que apareceram no pior morticínio que o Brasil já assistiu. Outros deles há, desvalorizados e ocultos, esperando não precisar de dores, sangue nem choro para que sejam lembrados e entendidos em seu heroísmo.

#Aisp14 #carlosoantagonista #tassodasilveira #anjosderealengo #realengo#zonaoeste #STPMALVES

 

Carlos Roberto
Hunting for men